O Live Commerce, termo usado para descrever a combinação de streaming de vídeo e e-commerce (vendas online), promete revolucionar o setor de varejo e os hábitos de compra do consumidor. 

Nesse artigo você terá um resumo de como o comércio ao vivo está tomando forma, as tendências no espaço de varejo e algumas previsões do que vem por aí.


Leia também:


A evolução do varejo com o “novo normal”

Lojas físicas estão fechando suas portas há algum tempo. Mas com a pandemia do coronavírus, o fim de muitos negócios foi acelerado. Milhares de empresas quebraram ou deixaram de existir. 

Hoje, chatbots e aplicativos móveis tornam o suporte ao cliente online quase perfeito. As tecnologias de aprendizado de máquina fornecem as recomendações personalizadas que todos nós esperamos. 

O e-commerce já transformou a vida de todos, mesmo em distanciamento social. E mesmo que as coisas voltem ao normal, as lojas físicas continuarão a perder espaço. Mas alguns aspectos da experiência na loja desaparecem ao fazer compras no mundo digital.

Comprar sempre foi uma experiência sensorial. Visão, toque, som, olfato e paladar são úteis ao avaliar um item para compra. 

Agora que o online se tornou o lugar predominante para os consumidores pesquisarem bens e serviços, os vendedores estão lutando para reproduzir esses aspectos materiais das compras. 

Não é nenhum segredo que comprar online proporciona conveniência. Mas e o engajamento? Uma visita à Amazon.com será tão divertida quanto um passeio pelos centros de compras urbanos?

Talvez as respostas sejam entendidas através do Live Commerce. Ao fundir o varejo online com a transmissão ao vivo, as empresas estão tentando trazer os consumidores um passo mais perto da experiência pessoal.

Live Commerce pode ser definido como um tipo de estratégia de vendas e divulgação de produtos e serviços realizado no ambiente online. 

Esse formato integra transmissões ao vivo (Lives) atrelado aos objetivos de um e-commerce tradicional, com o objetivo de esclarecer as dúvidas da audiência em relação a determinado produto e serviço, aumentar a confiança e credibilidade da marca e elevar significativamente as possibilidades de venda.

De onde surgiu o Live Commerce?

Plataformas sociais, como Snapchat e TikTok, já experimentavam possibilidades de vendas por meio de vídeos e conteúdos compráveis. Embora o Snapchat tenha diminuído em popularidade nos últimos anos, o TikTok é uma opção promissora que está em ascensão. 

Para entender o Live Commerce, o primeiro lugar a olhar é a China – onde se projeta que logo se tornará um mercado de trilhões de yuans (US $ 157,5 bilhões). O vídeo focado em vendas estava vivo e bem na China antes da pandemia e rapidamente se expandiu pós COVID-19. 

De acordo com o governo chinês, mais de 10 milhões de fluxos de Live Commerce foram hospedados nos primeiros seis meses de 2020.

O impacto do vídeo nas vendas online

Costuma-se enfatizar a importância das fotos de produtos para o comércio eletrônico. E, claro, as fotos são um fator-chave para vender online; no entanto, os vídeos permitem que o usuário veja o produto mais de perto – especialmente quando é complexo ou muito pequeno.

O vídeo também ajuda o comprador a se conectar com o produto e vê-lo em ação ou como é usado. Porque as coisas não podem ser tocadas – a principal desvantagem das compras online – poder ver alguém segurando e explicando o produto permite que todas as perguntas sejam esclarecidas.

Fotografias com zoom e opção de giro 360º também são uma ferramenta valiosa para o consumidor “brincar” com o produto como se estivesse em suas mãos; no entanto, o vídeo fornece mais informações adicionais sobre como o produto se move e funciona em ação.

Uma pesquisa com compradores online dos EUA, registrou que a maioria espera ver uma média de 6 fotos e 3 vídeos por produto antes de decidir pela compra. Além do mais, 66% dos usuários que desejam encontrar informações sobre os produtos preferem assistir a um pequeno vídeo. 

Tipos de Live Commerce

Assim como as compras online transformaram o varejo há vinte anos, a transmissão ao vivo promete transformar o comércio eletrônico hoje. Chamada de Live Commerce, essa convergência de vídeo e compras ajuda a melhorar o engajamento, diminuir a lacuna entre o cliente e o produto, impulsionar as vendas e – nos casos em que houver lances – aumentar o preço médio de venda.

Vamos dar uma olhada em alguns dos formatos mais comuns para aplicação na prática:

Marketplaces Online

Dois autênticos representantes dessa categoria são o Mercado Livre e eBay, mais recentemente a Amazon, permitem que os usuários comprem e vendam produtos sem nunca sair de casa. 

Mas a adição de streaming de vídeo ao vivo é vital para manter o interesse dos compradores. Por quê? A possibilidade de comprar online não é mais uma novidade. Sem novas camadas de envolvimento, os mercados online se tornarão uma coisa do passado.

Ao integrar a transmissão ao vivo na plataforma, esses mercados podem oferecer a experiência mais próxima possível de “estar lá” para aqueles que sintonizam do sofá de casa. A interatividade em tempo real replica a urgência de um mercado real, solicitando ação imediata e maior participação da comunidade.

Leilões ao Vivo

A transmissão de vídeo ao vivo está trazendo casas de leilão do século 18, como Sotheby’s e Christie’s, para a década de 2020 . Ao enriquecer sua presença digital, essas organizações estão conectando interessados em todo o mundo com a empolgação da sala de vendas.

 A transmissão ao vivo abre o pool de licitação para aqueles que não podem comparecer fisicamente, atingindo participantes com interesses variados e garantindo que cada item seja vendido com sua avaliação adequada.

Os leilões online são um grande negócio e a entrega de vídeo em tempo real é crítica. Quer seja leiloando gado ou obras de arte, qualquer atraso em uma transmissão ao vivo pode impedir que os lances sejam registrados corretamente. Frações de segundos podem se traduzir em bilhões de dólares em receita perdida ao implantar esses formatos online.

Influencer Streaming

As celebridades de hoje não estão necessariamente na tela grande. A Reality TV colocou personalidades da mídia no mapa digital, e um número crescente de estrelas ganham fama nas redes sociais a cada dia. Isso, por sua vez, abriu novas oportunidades de receita. 

Com um público já cativo, os influenciadores podem usar sua marca pessoal e o poder da transmissão ao vivo para promover seus produtos favoritos em um formato interativo . 

O streaming de influenciador se originou na mídia social, mas agora também se tornou comum em sites de comércio eletrônico. O formato converte dados demográficos mais jovens com a taxa mais alta. Enquanto apenas 26% das populações em geral decisões de compra são baseadas em influenciadores sociais recomendações, o mesmo é verdadeiro para 44% da geração Z.

Eventos ao vivo

Há muita sobreposição entre eventos ao vivo e as categorias descritas acima. Ainda assim, eventos dignos de nota, como lançamentos de produtos, lançamentos de edição limitada e feriados de varejo como Dia dos Namorados ou Black Friday se prestam incrivelmente bem para transmissões ao vivo compráveis. 

Sem a possibilidade do presencial devido às restrições sanitárias, grandes marcas utilizam a tecnologia para realizar eventos incríveis online com cenários fantásticos e interativos, onde CEOs e influenciadores ajudam na venda e divulgação. 

Hoje, o streaming mobile permite que os fãs comprem itens em tempo real nas passarelas de Louis Vuitton e Victoria’s Secret.

Live Commerce nível profissional

Realizar Lives de sucesso, com qualidade e segurança não é tarefa fácil. É necessário ferramentas facilitadoras, como:

  • Ter um bom roteiro com conteúdo assertivo;
  • Planejamento estratégico de marketing e vendas;
  • Bom apresentador ou influencer digital do seu nicho;
  • Cenário personalizado dedicado, com isolamento acústico e ferramentas profissionais (um estúdio por exemplo);
  • Equipamentos  profissionais de iluminação;
  • Equipamentos profissionais de sonorização;
  • Câmeras profissionais para captação de imagens de qualidade em alta resolução;
  • Se possível, uma equipe profissional de Streaming para direção de cenas;
  • Equipe de TI para segurança das informações transmitidas;

É recomendado planejar as cenas de exibição dos seus produtos, os melhores ângulos e como viabilizá-lo da melhor forma para a audiência. Se você tem um amplo conhecimento em recursos audiovisuais como câmeras profissionais, sonorização, edição, acompanhamento de Streaming, comece o planejamento do seu projeto de Live Commerce agora mesmo. 

Se você não manja do assunto, o ideal é procurar uma empresa que realize o planejamento e o gerenciamento de Lives para criar um projeto profissional de Live Commerce, diminuindo ou até mesmo isentando as possibilidades de erro que podem afetar diretamente a credibilidade da sua marca ou negócio.

Conclusão

Com ou sem pandemia, o varejo tradicional estava se apegando a um modelo desatualizado. Mas isso não significa que os empresários do ramo devam abandonar todos os aspectos da experiência pessoal.

Quando o Live Commerce é feito corretamente, a gamificação e a interatividade em tempo real ajudam a despertar o interesse do consumidor. Experiências imersivas em 3D usando realidade virtual (VR)  também podem ajudar a envolver usuários remotos – permitindo que os compradores estudem as roupas de todos os ângulos e vivenciem a emoção de estar no meio de um desfile, por exemplo. 

Não, o Live Commerce não é uma réplica exata da experiência de compra na loja. Mas, em uma economia em que a experiência do cliente dita quais marcas vivem e quais morrem, por que não alcançar os clientes em seus próprios termos com engajamento online e ao vivo?

Gostou desse artigo? Comente abaixo. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.