Vender alguma coisa pela internet…

Essa frase pode lhe parecer familiar, ou mesmo você já deve ter pensando nisso alguma vez, certo? 

Nesse artigo, vou falar sobre produtos de internet, os chamados infoprodutos, ajudar você a entender o que é e oferecer as melhores dicas para você também faturar, num segmento que está em alta.  


Leia também


Se você usa a internet há algum tempo, com certeza, você já consumiu um infoproduto.

O comércio eletrônico cresceu exponencialmente na última década e não mostra sinais de desaceleração. Ainda mais agora, em tempos de pandemia, onde o distanciamento social favorece e estimula as compras online. 

E se você, quer abrir um negócio, esse é o momento! 

O que é infoproduto?

Juntamente com toda essa atividade de comércio eletrônico, cresceu uma nova maneira de criar e vender produtos. 

Um produto digital pode vir em todos os tipos de formatos, mas, em sua essência, deve levar valor ao consumidor. Apesar do nome, as pessoas não querem simplesmente informações. Desejam dicas e estratégias para melhorar sua vida, seja para trabalho, lazer ou cuidados com a saúde. 

Quando falamos de produtos digitais, estamos nos referindo a algo que contém informações e podem ser facilmente acessadas online e baixadas para o seu computador pessoal ou até para dispositivos móveis. 

Alguns exemplos mais comuns de infoprodutos: gravações de áudio (podcasts), cursos em vídeo, eBook, webinar e até mesmo workshop. 

Outros formatos incluem pastas e listas de verificação que podem ser impressas ou preenchidas na área de trabalho. Você também pode entregá-los em vários formatos. Como JPEG, PNG, mp4, pdf, mp3, etc. 

As possibilidades são infinitas e o que vale aqui também, é a criatividade!

Obviamente, tudo isso depende do formato com o qual você trabalha melhor. Se tem melhor habilidade com vídeos ou tutoriais, talvez seja esse o tipo de produto de informação / produto digital no qual você pode se concentrar primeiro. 

Importante destacar: O formato que você selecionar deve ser facilmente acessível para o seu público-alvo e também deve ser o melhor para compartilhar o tipo de informação que você está tentando fornecer.

Benefícios dos produtos digitais

  • Baixos custos indiretos. Você não precisa ter um estoque ou bancar despesas com envio.
  • Margens de lucro altas. Como não há custo recorrente das mercadorias, você retém a maior parte de suas vendas em lucros.
  • Potencial de automação. Os pedidos podem ser entregues instantaneamente, permitindo que você seja relativamente isento de atendimento.
  • Produtos flexíveis. Você pode oferecer produtos gratuitos para criar sua lista de email, assinaturas pagas mensalmente para acesso a conteúdo digital exclusivo ou licenças para usar seus produtos digitais. Você tem muitas opções de como incorporar produtos digitais ao seu negócio.
  • O e-learning é o futuro da educação. Você tem uma grande oportunidade de expandir seus negócios e impactar com o e-learning, um setor que deverá valer US $ 331 bilhões em 2025.
  • Você é suscetível à pirataria / roubo. É fundamental tomar precauções e reduzir esses riscos, empregando as ferramentas certas para proteger seus produtos.
  • Existem algumas restrições sobre como você vende. Por exemplo, você deve vender produtos físicos por meio do canal de vendas do Facebook e Instagram, de acordo com os requisitos de qualificação dessas redes. 

A maioria desses desafios pode ser superada, se você empregar as ferramentas certas ao projetar o seu negócio de infoproduto. 

Os produtos digitais também vêm com desafios específicos onde é preciso ficar atento:

Você está competindo com conteúdo gratuito. Com produtos digitais, os consumidores provavelmente podem encontrar alternativas gratuitas para o que você está vendendo. 

Por isso, precisará pensar cuidadosamente sobre o nicho que vai segmentar e as descrições de seus produtos, oferecer um valor premium com seus produtos, além de saber como criar sua marca para competir.

Acima de tudo, saiba o que você quer vender!

Confira 8 tipos de infoprodutos que vendem e podem te ajudar na escolha do que pode ser mais rentável e possível de se pôr em prática:

  1. Ebook

Os ebooks ou livros eletrônicos, são publicações que trazem o mesmo conteúdo de uma obra impressa (livro), só que na versão digital. E aqui é bom não confundir com os ebooks que geralmente se oferecem para baixar em campanhas de inbound marketing, mediante preenchimento de cadastro. 

Estamos falando de algo bem mais abrangente e com maior valor de conteúdo. 

Da execução à promoção, os ebooks apresentam um excelente custo/benefício: basta uma ferramenta de textos (Word, Google Docs ou similar), um conversor PDF (extensão mais popular deste material) ou Epub, Mobi (formatos para iPad e Kindle) e um canal de promoção e venda, além é claro: de um bom conteúdo.

Como será um material escrito, é essencial que seja bem escrito e revisado, para que o leitor receba um conteúdo com excelência. 

Se você já tem obras impressas e ainda não digitalizou, está perdendo tempo e dinheiro. Esse é um dos infoprodutos mais populares e podem ser oferecidos em marketplaces como Amazon e Apple Store. 

  1. Curso online

Geralmente compostos por videoaulas, também podem agregar outros tipos de infoprodutos como material de suporte. São uma forma leve e dinâmica de educar as pessoas, e atrai muita gente. 

Primeiro, porque hoje em dia quase ninguém tem tempo e disponibilidade para participar de aulas presenciais. Depois veio a pandemia do coronavírus e muitos negócios tiveram que migrar do presencial para o digital.

O mercado de educação, o chamado e-learning está em alta e é um negócio escalável, dependendo de como você estruturar a criação e venda de seu curso. 

Muitas pessoas, senão a maioria, querem aprender coisas novas de acordo com o seu próprio ritmo e nos horários que elas têm, por isso os cursos online são sinônimos de conveniência.

Segundo, porque vídeo é um dos formatos preferidos na internet.

Só para ter uma ideia, nos Estados Unidos, as pessoas passam praticamente 6 horas por dia assistindo a vídeos. É muito tempo.

  1. Podcast

Se você usa o Spotify, provavelmente já entendeu o porque desse formato ser tão popular hoje em dia. Para quem não sabe ainda direito o que é um podcast, ele é similar a um programa de rádio sobre temas específicos.

A grande diferença é que o conteúdo do podcast é sob demanda, ou seja, você pode escutar quando quiser. Geralmente são divididos em temporadas e episódios, parecido com o que acontece com as séries da Netflix, e são disponibilizados na internet.

Uma das grandes vantagens dos Podcasts é que, como se trata apenas de áudio, as pessoas podem consumi-los em qualquer lugar e em momentos que não poderiam ler um ebook ou assistir a uma vídeoaula. Como quando estão dirigindo ou fazendo atividades físicas, por exemplo.

E, acredite: o podcast é muito simples de fazer e inclusive publicar. É sentar em uma mesa, conversar sobre o que você sabe, que você domina, que você provavelmente já discute todo santo dia…

A diferença é que você vai gravar essa conversa e oferecer para o seu público.

  1. Webinar

O webinar é um evento digital geralmente transmitido ao vivo. Pode ser uma palestra, workshop, demonstração de produto ou mesmo bate papo com especialistas.

As duas grandes vantagens desse tipo de infoproduto são:

  • é possível interagir com o público, aumentando assim o engajamento das pessoas
  • e você não precisa se preocupar com toda a estrutura necessária para fazer um evento presencial.

Outro atrativo do webinar é a facilidade de execução, ainda mais por conta das ferramentas gratuitas disponíveis atualmente e da enorme quantidade de informação. 

  1. Videocast

Parecido com o podcast, a diferença é que em vez de usar só áudio, deverá conter vídeo em formato compatível com os players mais populares, geralmente mp4. 

Para realizar essa comunicação, é necessário um servidor de streaming, um canal de comunicação e um cliente que pode ser um computador, dispositivo móvel ou qualquer terminal conectado à internet com a capacidade de reproduzir e ter a transmissão no momento em que for necessário.

O maior exemplo de videocast são os youtubers e seus canais na plataforma, com vários formatos e temas diferenciados que podem monetizar o autor e criar influenciadores digitais. 

  1. Screencast

Outra maneira de produzir conteúdo em vídeo é usando a estratégia de screencast, onde se grava a tela do computador. É um modelo muito usado para mostrar, na prática, como operar plataformas online, jogos de videogame, tutoriais de ferramenta, etc. 

Basta ter bom material (conteúdo relevante), usar alguns programas de gravação de tela e se desejar, ainda gravar o seu áudio, narrando o que está acontecendo. Por ser um infoproduto fácil e bastante consumido, considere agregar como isca para a divulgação ou venda de produtos ou serviços. 

  1. White paper

Os white papers são mais enxutos e dinâmicos do que os ebooks, abordando com maior profundidade determinado assunto, elencando os problemas e as soluções relacionadas a ele.

Geralmente tem em torno de 12 páginas. A informação é apresentada de forma mais densa e acadêmica, com muito texto e alguns dados estatísticos e gráficos que ajudam os leitores a terem insights e ideias inovadoras a partir dessas informações.

Por meio do white paper você vende seus serviços de maneira subjetiva, citando cases de sucesso ou ainda depoimentos de clientes que evidenciem sua expertise no assunto.

  1. Ferramenta

Deixei por último esse infoproduto, porque é mais trabalhoso. Exige criatividade, investimento e desenvolvimento. Ao contrário das outras alternativas focadas na produção de conteúdo, aqui a ideia é oferecer ajuda na prática. 

Ferramentas podem ser plugins, extensões, aplicativos ou programas de computador. Devem oferecer uma solução objetiva para resolver algum problema ou facilitar uma tarefa.

Porém, é o tipo de infoproduto que dá mais trabalho para ser produzido, pois geralmente é necessário ter desenvolvedores de software na sua equipe para fazer isso, a não ser que você seja fera em programação. 

Conclusão

Como você acompanhou até aqui, criar e vender infoprodutos deve ser uma estratégia aplicada com planejamento e pesquisa. Não saia fazendo coisas sem conhecer e pesquisar o que outros estão fazendo ou vendendo. 

Otimize tempo e faça testes para entender qual produto digital realmente faz sentido para você ou seus “clientes’. Todos temos conhecimento ou vivências que podem ser úteis para alguém. E, como vimos neste post, não precisa ser nada muito extraordinário.

A boa notícia é que conteúdos relevantes podem ser compartilhados na internet de maneira descomplicada e com baixíssimo custo para quem produz. Com o avanço tecnológico e as pessoas cada vez mais conectadas, nunca foi tão fácil disseminar e ganhar dinheiro aplicando o conhecimento.

Basta ter planejamento, uma estratégia sólida e usar as ferramentas certas. 

A Nvox é especialista na criação e estratégia completa para fazer o seu infoproduto aparecer e vender na internet. Fale comigo AQUI, que eu posso ajudar você ou a sua empresa a alcançar resultados com produtos digitais. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.