O e-commerce vem ao longo dos anos desafiando a lógica do mercado off-line, uma vez que as vendas online vêm teimando em crescer nos últimos 6 anos. Mas estamos falando do e-commerce para o consumidor final, aquela loja online de eletrodomésticos, de roupas ou mesmo de perfumaria, só para citar alguns poucos exemplos.

Temos lido que o mercado está parado, mas o E-commerce brasileiro cresceu mais de 8% no primeiro semestre de 2015 (fonte: ABCOMM).

As cias aéreas, há anos, aboliram suas vendas off-line. Hoje, somente online, com códigos localizadores substituindo os bilhetes físicos, as passagens.

Os shows e espetáculos também. Nos grandes eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas, as vendas já acontecem online, no mundo todo, e por isso escutamos no noticiário, que milhares de ingressos se esgotam em poucos minutos.

Essa mesma cultura, da praticidade, da velocidade e do alcance já chegou nas indústrias. Com a indesejável crise política e econômica a ameaçar o bom andamento dos negócios, a indústria se viu na obrigação de fazer alguma coisa para acelerar – ou manter – seu nível de vendas. A equipe de vendas externa, por mais competente e comprometida que seja, não consegue atender todos os potenciais clientes, em cada canto da cidade, do estado ou mesmo desse imenso país.

É nesse ambiente de desafios que tem surgido o E-commerce B2B, que transforma a experiência de compra dos clientes da indústria numa experiência similar à uma compra de um produto qualquer na internet. Uma experiência amigável, fácil, intuitiva, e com todas as características comerciais e fiscais necessárias para a indústria.

Só para exemplificar uma das inúmeras facilidades, um cliente tradicional da indústria, normalmente, goza de alguns benefícios como desconto especial e prazo diferenciado de faturamento. Pois esse cliente ao se “logar” no E-commerce B2B daquela indústria, o sistema Flexy já o reconhece, deixando disponíveis na tela, todas as suas facilidades, benefícios e negociações a que ele faz jus.

E, portanto, junto com essa solução que amplia ou oferece mais um canal de vendas para os clientes das industrias, cada empresa adota a sua política comercial, de descontos para clientes, de comissões para os vendedores, enfim, cada empresa ajusta o seu projeto dentro das suas necessidades, sem criar conflitos de canal e realmente facilitando o processo de compra para o seu cliente.

Dentro de um projeto de E-commerce B2B, a tecnologia da Flexy automatiza todo o processo, desde cálculos de ST (Substituição Tributária) até a logística de entrega das mercadorias.

A experiência positiva – testemunhada por várias empresas clientes da Flexy – com o E- commerce B2B nos dá a certeza que estávamos certos quando decidimos investir pesado no desenvolvimento de uma solução tecnológica completa, robusta e escalável, que atende não só Indústrias, mas também Distribuidores, Atacadistas, Franqueadores e Shopping Centers online.

Em tempos desafiadores, como esse e os próximos anos, todas as empresas que dependem de desempenho de vendas, sejam lojas de varejo, atacado, indústrias, distribuidores, franqueadores ou prestadores de serviço, vão precisar necessariamente rever seu processo comercial, e se possível, implantar um E-commerce, visando oferecer mais um canal de vendas para os compradores finais.

Em resumo, não podemos mais nos dar ao luxo de não vender aos sábados, domingos, feriados e madrugadas. Tempos mais difíceis exigem uma mudança na postura comercial. O mundo mudou rápido e a venda online já é quase passado.

Juarez Beltrão é Diretor de Novos Negócios na Flexy – Negocios Digitais 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.