Já falamos AQUI nesse artigo sobre as tendências de marketing digital para você aplicar no seu planejamento de 2022. Agora chegou a vez de irmos mais a fundo, detalhando o setor de e-commerce, utilizado hoje por tantas empresas e negócios. Acompanhe o artigo para descobrir quais setores ficaram em alta nesse ano e quais estratégias estão na mira dos administradores de lojas online no próximo ano! 

E-commerce cresceu bastante com a pandemia

Após as medidas restritivas impostas pela pandemia da Covid-19, o brasileiro mudou os hábitos de compra. Se por um lado houve queda nas vendas em lojas físicas, por outro houve aumento na procura pelo comércio eletrônico em todo o país. 

A Confederação Nacional do Comércio estima que o e-commerce no Brasil feche 2021 com um avanço de 38%. Em termos de faturamento, existe uma projeção de R$ 304 bilhões para o setor. 

Dados analisados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), apontam que os brasileiros compraram mais pela internet durante a pandemia e que grande parte pretende continuar comprando. 

Os tipos de e-commerce que mais se destacaram no ano

O portal E-commerce Brasil listou os setores que mais cresceram desde 2020 e negócios que conquistaram uma expansão rápida de forma bem sólida. Confira para acompanhar as tendências: 


Veja também:


1. Transporte – serviço de entregas, mobilidade e distribuição

O setor deve continuar crescendo por causa da necessidade de logística de entrega e distribuição imposta por uma cultura de autossuficiência. Como resultado, a mobilidade urbana e os serviços de entrega baseados em aplicativos continuam sendo uma opção confortável e segura para os clientes que não querem se expor ao transporte público ou comer no local de trabalho. Ex: iFood, Uber Eats, etc. 

2. Pets

Ao mesmo tempo que os brasileiros passam a ter mais animais de estimação em suas casas e apartamentos, um negócio em potencial cresceu como nunca. Com a necessidade de comprar alimentos e demais suprimentos para cães e gatos, o mercado online para pets cresceu de forma muito significativa a partir de 2020. 

Este crescimento fez com que as lojas online especialistas em pets expandissem seus negócios e conquistassem ainda mais públicos. Por esse motivo o setor foi tão beneficiado com a iniciativa do e-commerce, tendo para conta um crescimento de 88,04%.

3. Casa e Móveis

Com a vinda da pandemia, muitas pessoas optaram por reformar suas casas ou decorá-las. Por consequência, o setor de casa e móveis cresceu muito e a busca por novidades neste mercado também. Tal necessidade incentivou às empresas que comercializavam esses produtos a também vender no ambiente virtual, pois atingiram um número maior de público.

4. Comidas e Bebidas

Outro setor que cresceu muito com o e-commerce foi o de comidas e bebidas. Afinal, a quarentena obrigou as pessoas a usarem mais o serviço de delivery — e consequentemente passaram a comprar mais alimentos pela internet.

Essa ideia caiu no gosto dos brasileiros e depois de quase um ano fazendo isso até mesmo suas compras de mercado são realizadas em plataformas de e-commerce com a opção de entrega marcada ou no mesmo dia. O cliente ainda conta com o apoio de um colaborador do mercado para fazer as escolhas e substituições caso seja necessário.

5. Farmácia e Saúde

Um dos setores destaque do e-commerce é o de saúde e cuidados pessoais. Com a febre do delivery, muitas farmácias precisaram apostar no e-commerce como a principal forma de proporcionar um atendimento rápido eficiente e sem que o cliente saia de casa. Isso fez com que o setor crescesse muito nas plataformas de e-commerce e lojas online.

Houve uma revolução com a novidade da entrega rápida, o bom e velho frete grátis e muitas outras promoções para medicamentos específicos. E, claro, tudo isso levou a muitas pessoas comprarem medicamentos e produtos farmacêuticos pela internet para receber no conforto do lar.

As tendências para o e-commerce em 2022

Muitos empreendedores vão enxergar oportunidades para expandir seus negócios online e unir o e-commerce às suas estratégias de vendas. Em decorrência disso, o mercado digital ficará ainda mais competitivo. 

Por isso, acompanhe algumas tendências apontadas pelos especialistas de marketing em lojas online para aplicar também no seu negócio: 

Omnichannel

Esse item só vem confirmar a mesma tendência que teve desde a pandemia, que obrigou muitos negócios a se reinventarem. Omnichannel significa integração de diferentes canais de venda e comunicação que tem o objetivo de tornar a jornada de compra mais personalizada para o consumidor. 

Também deve garantir que sua marca esteja presente em todos os canais que o seu público-alvo costuma acessar. Mas cuidado para não confundir: omnichannel não significa apenas estar presente em diferentes canais e vender em diversas plataformas. Esse modelo tem outro nome e é chamado de multicanal.

A maioria das grandes redes varejistas já oferecem essa modalidade de compra, onde o consumidor adquire o produto no site ou plataforma de e-commerce e pode ir pessoalmente pegar o produto na loja física. 

Compra por voz (Voice Commerce)

Uma forte tendência para o e-commerce em 2022 é o Voice Commerce, prática que tem sido impulsionada pelo Google, que ajustou seu algoritmo para entender melhor as buscas por voz.

Uma prova de que tudo o que agiliza o processo de comunicação e compra tende a ser muito impactante entre os usuários. A crescente demanda por podcasts e o grande volume de mensagens de voz encaminhadas no WhatsApp, são exemplos disso. 

Assistentes de voz como a Alexa da Amazon, Siri da Apple, Assistente do Google, entre outros, ficarão ainda mais presentes em nossas vidas. 

E aqui vai uma dica: otimizar os títulos e descrições do seu e-commerce considerando a forma como uma pessoa perguntaria sobre aquele produto, já é um passo muito importante para aparecer nos resultados de busca por voz. 

Recommerce

Também chamado de revenda ou comércio reverso, o recommerce nada mais é que compra e venda de segunda mão. Produtos usados e reformados voltam para o varejo em novo formato de venda, em lojas focadas neste tipo de negócio.

O formato não é novo, tanto que empresas como Mercado Livre, OLX, Ebay entre outras cresceram em torno dessa estrutura, mas a tendência está alta no varejo de moda e é importante prestar atenção à ela. 

Novos meios de pagamento

Os hábitos de consumo mudaram e isso criou uma variedade de métodos de pagamento. Hoje, você pode aproveitar recursos como WhatsApp Pay, Pix, códigos QR, carteiras digitais e pagamentos de reconhecimento facial.

As vendas pela internet estão evoluindo e quem tem ecommerce não pode ficar para trás nesse ponto. Portanto, a loja online deve oferecer os métodos de pagamento mais recentes, além dos mais tradicionais. Quando um cliente chega à fase de finalização da compra e desiste porque não consegue encontrar uma solução viável, isso se torna muito irritante, ruim e uma venda a menos.

Para resolver esse problema, um fabricante do uniforme, por exemplo, deve assumir a sub-aquisição e se fundir com o comprador para permitir o uso de uma determinada marca. À medida que o processo de ajuste de pagamento se torna mais complexo, fica mais fácil gerenciar as finanças de um negócio online.

Atendimento automatizado

Aqui vale aquela máxima: nunca deixe um visitante ou lead sem resposta ou interação, quando ele procura pelo seu produto/serviço!

O atendimento automatizado é aquele realizado sem a necessidade de interação humana e uma forte tendência de e-commerce para 2022 pois acelera o tempo de resposta. Assim, a solução para muitas empresas será automatizar para garantir uma boa experiência do cliente.

Os chatbots, por exemplo, são excelentes opções para automatização do atendimento ao cliente. Você pode configurar inúmeros caminhos e respostas que um visitante pode interagir e pedir para o bot, desafogando bastante seu time de atendimento.

Existem plataformas especializadas em marketing conversacional que utilizam estratégias de funil de vendas para aquisição e nutrição de leads em jornadas de compra. 

Inteligência artificial e Big Data

Personalização é a palavra chave! O motivo pelo qual as pessoas passam cada vez mais tempo nas redes sociais é bem simples: o algoritmo sabe do que gostamos e, com isso, consegue prender nossa atenção. 

O próprio Google já anunciou que, em breve, os resultados de pesquisa serão personalizados para cada usuário, de acordo com suas preferências. Portanto, as marcas que passarem a oferecer atendimento personalizado vão se destacar no mercado e serão lembradas pelos usuários. 

Rastrear o comportamento de um usuário no seu site e proporcionar interações baseadas nisso já pode ser um diferencial. Mas, fique atento à LGPD. O seu site deve possuir uma política de privacidade e um aviso de cookies, para estar dentro das regras mínimas.

O big data pode atuar como uma ferramenta auxiliar à inteligência artificial no varejo. O IA é uma tecnologia avançada capaz de, por meio da análise de dados, gerar insights que orientem com eficiência e confiabilidade o processo de tomada de decisão do consumidor.

Conclusão

Se você chegou até aqui e está pensando seriamente em abrir sua loja online ou turbinar seu negócio frente à concorrência, vou fechar com alguns dados que podem ajudar na sua tomada de decisão: 

Levantamento da Worldpay from FIS, empresa americana com foco em produtos e serviços financeiros, estimou que o e-commerce no Brasil deve crescer aproximadamente 56% até 2024.

Intitulado de “The Global Payments Report 2021”, o estudo considerou a participação do e-commerce no ano passado em 41 países. A nível global, o comércio eletrônico disparou em 2020 e apresentou crescimento de 19% — o maior avanço dos últimos cinco anos.

Querendo montar um e-commerce e não sabe por onde começar? Conte com a Nvx para criar sua loja online, do começo ao fim. Fale comigo AQUI. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.