Na onda dos podcasts, redes sociais descobrem que o áudio pode ser um grande filão para buscar alcance, audiência e atrair o público que prefere ouvir e ser ouvido em conversas com amigos e seguidores. 

A ideia não é exatamente nova, já fazemos isso há tempos com os bate papos de WhatsApp, Telegram e outros, mas oferecer novas possibilidades, recursos e interações de voz para engajamento de comunidades conectadas nas redes é uma tendência sem volta.

Basta ver o sucesso do aplicativo Cluhhouse, assunto que já falamos aqui no Blog, ainda limitado para iPhone, mas que em breve (e assim espero) deve estar disponível também para usuários de Android. 


Veja também:


Segundo o MIT Techonology Review:

“durante a pandemia, os recursos de áudio se tornaram uma maneira fácil para as pessoas manterem contato, enquanto evitam a fadiga do Zoom e outros aplicativos de videoconferência. Mas agora uma nova onda de aplicativos modernos está incorporando o imediatismo e a crueza do áudio à experiência central, tornando a voz a maneira como as pessoas se conectam novamente. De chamadas telefônicas a mensagens e de volta ao áudio – a maneira como usamos nossos telefones pode estar fechando um círculo”.

Fale e você será ouvido

Primeiro as redes sociais conquistaram o texto. Depois dominaram o vídeo. E agora, a nova fronteira começa a ser explorada: o áudio.

Não é nenhuma surpresa que o áudio seja popular. É um meio profundamente envolvente e íntimo, normalmente com um público cativo que escolhe explicitamente ouvir. 

Ele também preenche um momento único no dia: você pode ouvir enquanto prepara o jantar ou leva o cachorro para passear, ao contrário de atividades mais visuais, como assistir TV ou navegar pelo feed de uma rede social.

A incursão das redes sociais em áudio pode atingir esse público consumidor cativo, oferecendo:

Mais recursos ou funcionalidades para manter os usuários em aplicativos de redes sociais por mais tempo.  As redes sociais continuaram a ver um crescimento constante de usuários, à medida que os consumidores procuram se conectar virtualmente ou ter tempo livre durante a pandemia. 

Um método de consumo alternativo para usuários que não desejam ler ou visualizar conteúdo.  Os espaços de áudio social têm grande potencial, com os consumidores buscando experiências mais privadas ou pessoais do que a natureza da transmissão de atualizações de status ou tweets. É também uma adição oportuna para usuários que podem estar reduzindo o tempo gasto em feeds visuais, já que a pandemia aumentou o tempo de tela da maioria dos consumidores. 

Formatos de anúncios adicionais em redes sociais.  À medida que os usuários passam mais tempo em aplicativos de mídia social, os anunciantes podem veicular mais anúncios para esses usuários – um desejo compreensível por redes sociais que dependem quase exclusivamente da receita de anúncios. Facebook, Twitter e Snapchat priorizaram notavelmente novos formatos de anúncio nos últimos anos. 

O Spaces (Espaços) do Twitter em ação

Twitter Spaces, ou Espaços, é como a rede batizou sua nova funcionalidade. Com formato similar ao Clubhouse, é a aposta da rede social para concorrer com o aplicativo. As salas, com audiência ilimitada, possuem um perfil anfitrião e comportam até 11 pessoas falando simultaneamente.

Os ouvintes possuem diferentes maneiras de interação nas salas do Espaços. Além do recurso de levantar a mão para falar virando orador, é possível adicionar emojis de reação em tempo real e compartilhar o link de acesso para outras pessoas. 

No Brasil, a função está sendo liberada aos poucos para usuários do Twitter e é bom lembrar, funciona somente no app para smartphones. Todos podem acessar uma sala, mas apenas um grupo limitado consegue criá-la. Confira a seguir, como utilizar o Twitter Spaces:

Para criar um Espaço basta ir no botão criar e clicar no ícone onde simbolizado por diamantes. 

Acrescente uma descrição

Você terá a opção de adicionar uma descrição (máximo de 70 caracteres). Recomendo adicionar uma linha curta, mas específica, que mencione o tópico sobre o qual você falará e ou qualquer orador convidado que estará apresentando. 

O título do seu Espaço será padronizado como “Espaço de [Seu nome no Twitter]”, que não pode ser alterado atualmente.

Ative as legendas 

Na primeira vez que você for o anfitrião ou falar em um Espaço, o Twitter solicitará seu consentimento para que sua fala seja legendada. Isso permitirá que os usuários vejam as legendas ao vivo enquanto ouvem um Space (eles devem escolher “mostrar legendas” nas configurações do Space). 

Adicione oradores

Você pode adicionar até 10 pessoas (além do anfitrião) como oradores em um Espaço.

Escolha entre três opções de oradores:

  • Todos
  • Pessoas que você segue
  • Somente pessoas que você convida

Você sempre pode alterar isso mais tarde, ao hospedar um Espaço. Se você selecionar “Apenas as pessoas que você convidar”, poderá enviar convites aos palestrantes via DM.

Como o anfitrião, você deve ativar as legendas para o seu Espaço. É altamente recomendável ativá-los para tornar seu canal acessível e inclusivo para todos os ouvintes.

Enquanto um Espaço está ao vivo, você pode aprovar solicitações para falar de ouvintes. Todos os oradores que você aprovar contarão para o limite de 10 no total.

Se você tiver problemas com oradores, você (como o anfitrião) pode remover, denunciar ou bloqueá-los. Observe que se você bloquear um usuário dentro de um Espaço do Twitter, você também o estará bloqueando completamente no Twitter.

Não há limite de quantos ouvintes podem ingressar em um Espaço.

Quando você entra em um Espaço, seu microfone é silenciado por padrão.

Uma vez no Espaço, existem algumas ações que você pode realizar:

  • alterar suas configurações (como ativar legendas e efeitos sonoros),
  • pedido para ser um orador,
  • ver a lista de oradores e ouvintes,
  • enviar reações de emoji,
  • compartilhar tweets,
  • e compartilhar o Espaço.

Dica útil: se desejar continuar usando o Twitter enquanto ouve um Space, você pode minimizá-lo e ele irá encaixar na parte inferior do seu aplicativo. Se você sair do aplicativo Twitter, o áudio continuará a ser reproduzido.

Facebook também entra na briga

Em abril o Facebook anunciou novos recursos de áudio para a rede social e nos próximos meses os usuários poderão ouvir podcasts e interagir com amigos e familiares através de publicações em formato de áudio na plataforma.

Fazendo valer a velha máxima de que (também) no digital nada se cria, tudo se copia, o Facebook estava explorando alternativas possíveis para o Clubhouse. 

O recurso vai abranger tanto o aplicativo principal quanto o Messenger, começando pelos grupos da rede social. Inicialmente, as salas de áudio também estarão disponíveis para personalidades e especialistas. 

Soundbites

A nova funcionalidade chamada de Soundbites funciona como uma espécie de TikTok (ou Instagram Reels), porém somente com áudio, onde os usuários podem navegar por um feed de clipes de som curtos. A novidade será testada com um pequeno grupo de criadores de conteúdo.

A previsão é de que todos os usuários tenham acesso à ferramenta até o final do ano.

Podcasts no Facebook

O Facebook também pretende adicionar podcasts à sua plataforma. De acordo com Mark Zuckerberg (fundador da rede social), há mais de 170 milhões de usuários do Facebook conectados a uma página de podcast na rede social. Porém, até o momento, não há uma forma de escutar os episódios dentro da plataforma.

A ideia é facilitar o acesso de conteúdo: os usuários poderão descobrir um novo áudio com base em seus interesses e reproduzi-lo, mesmo em segundo plano, enquanto navegam na rede social. Comentários e indicações de podcasts para amigos também fazem parte do projeto.

Oportunidades de monetização

De acordo com Fidji Simo, head do aplicativo do Facebook, “a única maneira de tudo isso funcionar a longo prazo é se os criadores puderem ganhar dinheiro com seus esforços. Portanto, no lançamento, apresentaremos várias maneiras para os criadores de áudio desenvolverem seus negócios enquanto seguem sua paixão”. 

Quando as Salas de Áudio ao Vivo forem lançadas, os fãs poderão apoiar seus criadores e figuras públicas favoritos por meio de Estrelas, ou doar para causas com as quais eles se importam. 

Logo após o lançamento, a rede social promete outros modelos de monetização, como a possibilidade de cobrar pelo acesso a uma Sala de Áudio ao Vivo por meio de uma única compra ou assinatura. 

Conclusão

Há uma grande expectativa para o lançamento do aplicativo Clubhouse para Android. Considerada a rede social do momento, precisa agir para não ver as diversas cópias da concorrência se tornarem mais populares. 

Por isso, desde janeiro a plataforma vem prometendo o lançamento de um aplicativo dedicado ao sistema mais popular utilizada em smartphones, com muito mais usuários que iOS. Após questionamentos, Paul Davison, CEO e cofundador do Clubhouse confirmou que a versão para Android deve chegar “dentro dos próximos meses”. A previsão ainda é muito vaga, mas tudo indica que esse app pode ser lançado entre maio e junho.

O Clubhouse tem alguns desafios consideráveis no Android. O principal deles é a barreira do idioma, que precisa ser superada com algum tipo de serviço de tradução – disse Davison.

Vale lembrar que Espaços do Twitter e Soundbites do Facebook ainda não estão disponíveis para todos. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.