Quem depende de um site para conquistar clientes e vender com mais assertividade, precisa entender a importância da velocidade das páginas para proporcionar uma boa experiência ao usuário. Ter um site que abre e carrega rapidamente é uma das alavancas mais diretas para aumentar o tráfego de pesquisa, reduzir a taxa de rejeição e obter os melhores resultados. 

A primeira etapa para otimizar a velocidade das páginas do seu site é medir e identificar onde estão os gargalos. Existem muitas ferramentas para fazer a verificação de velocidade, mas o PageSpeed ​​Insights do Google é talvez o mais completo em termos de melhorias e recomendações acionáveis.

Nesse artigo vou fazer uma introdução à ferramenta para você utilizar da forma mais eficiente e mostrar como a pontuação afeta as classificações de pesquisa. Pretendo te explicar também, por que você não deve perseguir uma pontuação de 100/100 e, em seguida, revelar alguns gargalos comuns da velocidade de páginas o que eles significam e como corrigi-los.


Veja também:


O que é o Google Speed Insights?

É uma ferramenta do Google disponível AQUI que ajuda os editores a medir o tempo de carregamento de suas páginas da web em desktops e dispositivos móveis, identificar gargalos e usar essas informações para otimizar a velocidade de carregamento da página do site. 

Você pode inserir qualquer URL e executar o teste. Após o teste, o Google atribui uma pontuação de velocidade que vai até 100 para o site que você testou, com base em várias práticas recomendadas de desempenho de carregamento. 

É possível também obter uma lista de recomendações para melhorar sua pontuação e,por consequência, a velocidade geral de carregamento do seu site.

Daqui em diante pode ficar um pouco complicado para quem não tem conhecimento de programação, mas se você utiliza o WordPress como plataforma do site, é possível implementar muitas dessas recomendações sem nenhum conhecimento de codificação. 

Entenda por que não perseguir uma pontuação 100/100

Não tente atingir a nota máxima do Google PageSpeed Insights. Depois que seu site atingir uma pontuação de velocidade de página razoavelmente boa e pode ser qualquer coisa entre 90/100,os usuários do seu site provavelmente estão experimentando todos os benefícios associados à velocidade de carregamento de página rápida. Tentar atingir uma pontuação 100/100 perfeita não é fácil nem necessariamente útil.

O que importa mais é quão bem você executou as recomendações do PageSpeed, em vez de atingir um determinado número. Otimização excessiva também pode significar ter que eliminar elementos essenciais de design e usabilidade que são cruciais para fornecer uma boa experiência geral do usuário. 

Por esse motivo, é importante ter uma visão ampla de como os usuários experimentam o site em um ambiente do mundo real e não comprometam a forma ou função para acelerar o site.

Também preciso destacar que, por mais útil que o PageSpeed ​​Insights possa ser, não é a última palavra na otimização da velocidade da página. É o que o Google considera mais importante. Por exemplo, um site pode ter um tempo de carregamento de página inferior a 500 ms, mas ainda receber uma pontuação ruim no PageSpeed ​​Insights.

Experimente testar outras ferramentas de velocidade de página. Você notará que os números de diferentes ferramentas não correspondem precisamente, o que mostra o quão arbitrários esses testes podem ser. Porém, como é o objetivo aqui, vamos destacar o Google PageSpeed Insights.

O que o Google tem a ver com isso?

A resposta é: tudo. Obviamente, além de fornecer a ferramenta, o Google também opera o maior mecanismo de busca do mundo. Portanto, a conclusão natural a ser tirada é que a pontuação do PageSpeed ​​também pode afetar as classificações de pesquisa. E sim, o Google faz a velocidade de página de uso como um sinal de classificação.

Desde 2018, o Google usa a velocidade da página mobile como um fator de classificação para resultados de pesquisa. Em junho de 2021, a gigante das buscas atualizou seu algoritmo para incluir Core Web Vitals como um sinal de classificação para resultados de desktop. 

O resultado final é que as pontuações do PageSpeed ​​Insights são mais do que apenas uma métrica personalizada. O Google realmente acredita e aposta em sua metodologia de teste de página e, consequentemente, recompensa os sites que têm uma boa pontuação de PageSpeed ​​com melhores classificações e mais tráfego por meio de seu mecanismo de pesquisa.

Como usar o Google PageSpeed Insights?

Além de ser grátis, é uma ferramenta muito simples de usar.

O Chrome tem extensões para rodar a análise diretamente no navegador. Porém, leve em consideração que o próprio Google recomenda usar o site por não confiar nas extensões desenvolvidas por terceiros.

Assim que a análise for concluída, você verá uma tela como no exemplo abaixo:

Como melhorar a pontuação?

Para ajudar nessa tarefa, reuni algumas dicas para você aplicar com as recomendações do PageSpeed Insights de forma precisa e correta, melhorando a sua nota e focado na performance e experiência do usuário.

1. Otimizar o código HTML

Busque melhorar o código HTML. Isso vai ajudar na performance da página, uma vez que códigos duplicados ou tags sem propósito atrapalham na leitura dos servidores. É importante organizar o código com ferramentas de compressão, por exemplo (winrar), que ajudam a otimizar o HTML de uma maneira prática.

2. Imagens Otimizadas

Melhorar as suas imagens é um item importante e costuma ser uma das principais causas na demora de carregamento de página. É possível otimizar:

  • O tamanho de uma imagem;
  • O tamanho de exibição em relação ao tamanho real da imagem em pixels.

Além disso, é importante postergar o carregamento de imagens fora da tela, usar uma rede de entrega de conteúdo (CDN) ao optar por imagens de última geração.

3. AMP

AMP pode ser uma sigla desconhecida para você, mas é uma ferramenta do Google que facilita o carregamento em dispositivos móveis, priorizando a experiência do usuário com acesso rápido e simplificado, oferecendo uma versão mobile mais básica e funcional, sem recursos desnecessários que tornam a página pesada.

4. Rede de entrega de conteúdo (CDN)

Também nunca ouviu falar? A CDN entrega a carga do servidor por vários locais diferentes e usa o mais próximo ao usuário para atender solicitações. Quanto mais próximos os dados de CDN e usuários estiverem, mais rápido será o tempo de carregamento.

5. Retardar carregamento de imagens fora da tela

É possível protelar o acesso à imagens apenas quando o usuário usa a barra de rolagem. Evitando que todas sejam carregadas ao mesmo tempo, isso contribui para o atraso na entrega dos conteúdos e lentidão da página.

6. Melhorar tempo de resposta do servidor

Significa garantir que o site esteja hospedado em um ótimo servidor. Assim, se o Google PageSpeed Insights recomendar o critério, entre em contato com o provedor de hospedagem ou busque soluções de hospedagem mais adequadas ao seu site.

7. Minificação

O nome já diz tudo. Minificar é excluir os espaços em branco e comentários, no trabalho dos desenvolvedores, para melhorar arquivos CSS e JS, e otimizar o tempo de carregamento.

8. Cache do navegador

O Google PageSpeed Insights considera a quantidade de recursos que o navegador precisa assimilar da sua página para exibir quando for solicitada novamente. Essa memória é definida pelo cache. Quanto melhor ele estiver organizado, mais fácil o navegador consegue resgatar a página pelo cache.

9. Limpar redirecionamentos

O Google PageSpeed Insights também vai sugerir que os redirecionamentos sejam limpos, pois o acúmulo deles também causa lentidão, quando os navegadores solicitam HTTP adicionais.

Ficou em dúvida com tantos termos e configurações? Experimente aprender um pouco mais pesquisando no próprio Google ou contrate um desenvolvedor/programador de sites. 

Como a contagem do Google PageSpeed Insights funciona

A nota que o seu site recebe quando você digita a URL na ferramenta não é aleatória, e nem poderia ser. É preciso entender bem o processo da análise para que ela seja precisa e acima de tudo, confiável.

Então a pergunta é: qual o critério que o Google utiliza na hora de determinar a nota que cada página web deve receber, tanto no mobile, quanto desktop?

Basicamente, o PageSpeed Insights faz duas coisas:

  1. Analisa o tempo de carregamento da sua página e quantos recursos ela possui (plugins, scripts de código que se comunicam mais vezes com o servidor e fazem a página demorar mais para carregar).
  2. Compara esses dados com a média de todas as páginas analisadas.

Após essa comparação, a ferramenta faz um relatório simples, mas objetivo, mostrando:

  • qual a média do tempo de carregamento das páginas na internet;
  • qual é o seu tempo de carregamento;
  • sua nota final;
  • sugestões de melhorias para otimizar seu carregamento.

E como é dada essa nota? Ela vai de 0 a 100, e é definida quando o algoritmo compara o site com as boas práticas sugeridas pelo próprio Google para otimizar o desempenho.

Ao final, após fazer a varredura, a nota é dada com base em quanto espaço há para melhora e otimização, ou seja, quantos pontos recomendados ainda faltam para você aplicar. A real definição da palavra “insights”. 

Junto da nota em número, digamos que o seu site alcançou pontuação 79, existe uma classificação em texto:

  • Boa pontuação a partir de 80
  • Média pontuação entre 60 e 79
  • Ruim pontuação de 0 a 59

Conclusão

Como você viu até aqui, não há como ignorar a importância de ter um site que carregue rapidamente e, felizmente, você agora sabe um pouco mais sobre o que é, o que não é e como funciona a ferramenta PageSpeed ​​Insights do Google, bem como como melhorar a velocidade do seu site. 

Sei que muitas vezes é difícil saber por onde começar, mas ao dedicar um tempo para entender onde você pode alcançar o maior impacto, você pode começar a trabalhar com seus desenvolvedores para colocar em prática um plano de ação priorizado e mudar as coisas. 

Impacto não apenas no desempenho de SEO do seu site, mas também na conversão de usuários em uma taxa mais alta. Precisando de ajuda para isso? Fale comigo clicando AQUI. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.